Você entende a real importância do Big Data para o marketing? -– Digital Land

Você entende a real importância do Big Data para o marketing?

Você entende a real importância do Big Data para o marketing?
"Apróx. 6 min de leitura".

No ambiente empresarial, é muito comum falarmos de Big Data e marketing para otimizar as estratégias de comunicação e, é claro, aumentar as vendas. No entanto, profissionais de diversas áreas ainda enfrentam dificuldades para entender, de fato, o que essa enorme quantidade de dados digitais pode gerar de valor para um negócio.

Continue a leitura deste artigo e entenda a real importância do Big Data para o marketing.

 

O que é Big Data?

O armazenamento de informações não é novidade. No entanto, a mudança está na quantidade de dados digitais gerados a todo o momento com o avanço das tecnologias.

No ano 2000, o analista de informações norte-americano Doug Laney criou uma definição para o termo Big Data a partir de cinco Vs: volume, velocidade, variedade, veracidade e valor. Isso porque um alto volume de dados é produzido em tempo real hoje em dia, seja em uma compra no cartão de crédito ou em uma postagem no Facebook.

Contudo, diferentemente do que acontecia antes, a maioria deles é composta por dados não estruturados, como os de mídias sociais, blogs e portais de notícias. Por serem textos, imagens, áudios e vídeos, o seu tratamento é mais complexo e exige a intervenção humana. Os dados estruturados, por sua vez, são aqueles encontrados em softwares de empresas como CRM (em inglês, Customer Relationship Management), ERP (em inglês, Enterprise Resource Planning) e sistemas de RH.

Como era de se esperar, todos esses dados são vistos como fonte de insights valiosos para as empresas. Portanto, o Big Data Analytics é uma forma de auxiliá-las na correlação e no cruzamento desses números.

 

Quais são os principais usos do Big Data?

O marketing pode se beneficiar (e muito) do Big Data. A seguir, conheça alguns dos seus principais usos.

 

Mineração de dados

A mineração de dados (em inglês, data mining) está relacionada ao conjunto de tecnologias e técnicas que possibilitam automatizar a análise de grandes volumes de dados, a fim de encontrar padrões e tendências.

O uso de algoritmos mais sofisticados permite a sua segmentação e a avaliação da probabilidade de ocorrência de um evento específico no futuro. Em outras palavras, consegue detectar precocemente os movimentos do mercado.

Dessa forma, os gestores dispõem de informações para se antecipar a elas e tomar decisões mais acertadas para o sucesso do negócio.

 

Estudos do comportamento do consumidor

A realização de estudos sobre o comportamento do consumidor é muito útil para aprofundar o conhecimento sobre a persona da sua empresa, que é um perfil semificcional do seu cliente ideal. A partir das personas você consegue produzir conteúdos mais direcionados ao seu público, aumentando o engajamento e as chances de conversão.

Tanto o que o seu lead consome e compartilha com os colegas quanto o que ele descarta pode ser conhecido por meio da análise do tempo de permanência em cada página do seu site, da abertura dos e-mails e do download de arquivos.

 

Segmentação de leads

Depois de coletar os dados nos estudos de comportamento do consumidor, a hora é de estruturá-los para extrair as informações, certo? Um bom caminho para isso é a segmentação dos leads por sexo, profissão, níveis de interesse, entre outros quesitos. Afinal, tão importante quanto armazenar esses dados é fazer com que eles tenham valor para o desenvolvimento de estratégias de marketing melhores.

 

Como aplicá-lo?

Antes de falarmos sobre como aplicar o Big Data no marketing, dividiremos os dados em três categorias para facilitar a compreensão. É justamente o seu cruzamento que proporciona a geração de insights valiosos para uma empresa. Veja abaixo:

  • social data (internet e redes sociais/dados demográficos e comportamentais);
  • enterprise data (RH, vendas, finanças, produção e logística);
  • personal data (Internet das Coisas/dispositivos vestíveis, como smartphones e relógios conectados à web).

Eles podem ser coletados de diferentes formas, e boa parte dessas ferramentas são usadas por nós no dia a dia. Confira a seguir!

 

E-mails

Os e-mails são uma ótima fonte de dados, já que muitas ferramentas enviam neles arquivos com dados padronizados. Eles costumam ser anexados em .xls, .pdf ou até mesmo no corpo da mensagem. Logo, é possível criar integrações para coletá-los e, em seguida, tratá-los.

 

Blogs e mídias sociais

Que tal pesquisar o que os usuários têm falado sobre o seu negócio ou sobre o seu mercado de atuação? Como já comentamos, há uma quantidade significativa de dados em blogs e redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram. No entanto, como eles não são estruturados, é preciso organizá-los para que fiquem minimamente compreensíveis.

 

Open data

Atualmente existe uma variedade de dados de diferentes áreas disponíveis na web. Eles são publicados nos sites dos governos, como o Portal Brasileiro de Dados Abertos. Ao cruzá-los com seus dados internos, você é capaz de obter informações relevantes para a sua empresa.

 

Sistemas web

Ferramentas como o Google Analytics, o Facebook Ads e o RD Station servem como fontes de dados sobre os seus visitantes, clientes e possíveis oportunidades de negócio. Por isso, saber explorá-las é fundamental para qualquer organização hoje.

 

Planilhas do Excel

Em geral as empresas têm planilhas espalhadas em diversos computadores ou na nuvem. Ao reunir todos esses dados e cruzá-los com os dos e-mails marketing, por exemplo, você consegue obter informações novas para a otimização da sua estratégia de marketing.

Se você leu até aqui, já está convencido da importância de estudar Big Data e marketing, não é mesmo? Também deve ter percebido que a análise de dados não é exclusividade das grandes empresas. E-mails, blogs, mídias sociais, sistemas web e planilhas do Excel são recursos utilizados no dia a dia por organizações de todos os portes.

Embora a criação de uma cultura de Big Data exija muito trabalho e dedicação, vale a pena investir na análise de dados estruturados e não estruturados para a geração de insights valiosos. Como poucos fazem isso, você terá pela frente muitas oportunidades de alavancar o seu negócio!

Gostou deste post sobre a real importância do Big Data para o marketing? Então aproveite a visita e saiba também como otimizar os resultados da sua estratégia de Google Ads!

Related Posts

share
× Posso Ajudar?