6 técnicas de neuromarketing que podem mudar suas campanhas -– Digital Land

6 técnicas de neuromarketing que podem mudar suas campanhas

6 técnicas de neuromarketing que podem mudar suas campanhas
"Apróx. 6 min de leitura".

O ato de consumo sempre esteve interligado ao subconsciente humano. Por isso, entender o comportamento do consumidor é de suma importância para o planejamento de ações de marketing e vendas, e esse entendimento pode ser feito por meio de técnicas de neuromarketing, que são capazes de criar vínculos afetivos e emocionais com o público.

O neuromarketing é a união entre a neurociência e o marketing. Esse estudo busca explicar, com base na ciência, qual é a lógica do comportamento e das ações do consumidor. Essa análise permite que o marketing crie estratégias que proporcionem resultados mais sólidos e certeiros.

As respostas do neuromarketing são retiradas por meio de diversas técnicas, como testes e exames que evidenciam como o cérebro reage aos estímulos (imagem, texto, aroma, sabor etc). Eles podem gerar um prognóstico de uma campanha publicitária, uma embalagem, um e-mail, ou qualquer outro meio de comunicação.

Não é necessário investir em grandes estudos de neuromarketing para obter resultados nas ações de marketing, basta entender as descobertas da área, adequar ao seu negócio e replicar à sua estratégia. Quer saber como otimizar resultados em suas campanhas utilizando técnicas de neuromarketing? Continue a leitura!

1. Aplique a psicologia das cores

É necessário que as marcas sejam minuciosas em cada detalhe presente na mensagem. As cores, por exemplo, são capazes de transmitir, de forma implícita, emoções ao consumidor. Por meio delas é possível intensificar ou amenizar sentimentos, que vão desde a excitação até a calmaria.

A psicologia das cores deve ser aplicada no ponto de venda, nas mensagens publicitárias, nas embalagens e nos recursos multimídias da marca. Assim, é possível aguçar os sentidos do consumidor e culminar bons resultados. Conheça o impacto de algumas cores:

  • vermelho: cor primária que, por ser uma cor quente, pode transmitir sentimento de urgência, paixão, desejo e até estimular o apetite do consumidor;
  • laranja: transmite energia e criatividade. Por derivar do vermelho, também pode passar sentimento de desejo;
  • amarelo: dependendo da usabilidade, essa cor pode aguçar o sentimento de fome, ou otimismo, ou até despertar atenção do receptor;
  • verde: propaga a sensação de positividade, harmonia e equilíbrio, uma vez que está diretamente ligada à natureza;
  • azul: transmite credibilidade e confiabilidade, além de aguçar a criatividade;
  • roxo: conduz a sensação de nobreza e sabedoria, além de incitar a imaginação;
  • rosa: transmite uma mensagem romântica, delicada e inocente. Essa cor é muito usada em mercados femininos e infantis;
  • branco: é uma cor neutra que pode transmitir sensação de limpeza, tranquilidade e organização;
  • preto: também é uma cor neutra que transmite força e elegância e é capaz de instigar a curiosidade.

2. Crie gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são ações que seu cérebro toma automaticamente. O marketing possibilita o uso desses gatilhos para incentivar uma compra. Por isso, é necessário desenvolver estímulos que facilitem com que o consumidor tome decisões de forma rápida, como por meio das seguintes ações:

  • urgência: ofereça um prazo para o público consumir, seja por um produto com edição limitada, seja por uma oferta com prazo determinado. Desperte o interesse no consumidor em comprar aquilo, agora;
  • prova social: utilize números para mostrar quantas pessoas já consumiram o que você está oferecendo. Já que despertou interesse em um grande número de pessoas, seu consumidor se questionará o porquê de não ter experimentado;
  • escassez: uma oferta de edição limitada também transmite esse sentimento. Se você realmente estiver oferecendo esse tipo de oferta, mostre ao consumidor que há oportunidades exclusivas para consumir o produto. Portanto, ele deve ser rápido;
  • novidade: você tem uma oferta nova no mercado e o consumidor pode se sentir realizado ao experimentar. Então, ao lançar novidades no mercado, comunique ao público.

3. Faça um teste A/B

Uma vez que você definiu alguns elementos da mensagem (como as cores e os gatilhos mentais), você pode realizar um teste A/B. Esse teste tem o objetivo de identificar a reação do consumidor diante de pequenas mudanças e, com isso, você deve replicar a variável que obteve melhores respostas.

O teste A/B pode ser aplicado em diversos canais. No e-mail marketing, por exemplo, você pode testar dois assuntos de e-mail em dois grupos diferentes da sua base, na sequência, você medirá qual teve maior taxa de abertura e o aplicará para os demais contatos.

O mesmo teste pode ser feito em seu site, mudando alguma cor, um texto, ou o local de um botão. Com isso, é possível trabalhar com mais fatos e menos hipóteses, e as ações serão baseadas em resultados de experimentos aplicados, o que, possivelmente, proporcionará resultados mais satisfatórios.

4. Oferte o valor antes da venda

Uma boa prática de vendas é fazer com que o consumidor enxergue valor no seu produto antes mesmo que sua empresa inicie uma abordagem. Com isso, é possível já transmitir confiança antes da consolidação do negócio, o que tende a construir uma relação mais duradoura.

Essa oferta de valor antes da venda pode ser feita sanando as dúvidas do público, entregando conteúdos e materiais relevantes, oferecendo conselhos que sejam úteis e que oriente-os a mitigar suas dores. Uma vez estruturada a relação, o cliente estará disposto a investir no seu produto ou serviço.

5. Repita ideias e conceitos de forma estratégica

Você pode utilizar algumas mensagens que repitam as ideias e conceitos de sua estratégia no intuito de frisar o que é transmitido. Além de reforçar a comunicação, essa repetição torna a abordagem mais persuasiva e reflete em mais conversões.

Não se trata de repetir em vão, em qualquer canal ou a qualquer momento. A tática da repetição tem o objetivo de construir uma comunicação concisa, clara e objetiva. Ela reforça a marca e o produto na mente do público e faz com que a oferta seja enfatizada frequentemente.

6. Invista no design

O design é uma ferramenta capaz de centralizar — e agregar — todas as técnicas de neuromarketing citadas acima. Ele transmite ao consumidor a cara da sua empresa em todos os pontos de contato com sua marca, seja por meio de canais digitais, seja por meio de mídias off-line. O design está presente também nas suas embalagens e no ponto de venda.

Não se trata unicamente de um elemento visual bem apresentável, o design é a representação das informações e das necessidades de forma prática e otimizada. Ele é pensado na usabilidade do usuário dentro do seu site, dentro do seu aplicativo e até mesmo de sua loja.

Aplicando essas táticas você ampliará sua visão de mercado e enxergará novas oportunidades de retenção de consumidores. Sabemos que o marketing depende de testes constantes para obter resultados e a aplicação de algumas técnicas de neuromarketing possibilita a tomada de decisões mais seguras, sem depender de suposições para entender o que funcionará ou não.

Gostou das dicas dispostas neste artigo? Constantemente, preparamos conteúdos relevantes que podem ajudar na elevação dos resultados da sua marca. Assine nossa newsletter e receba as novidades em seu e-mail!

Related Posts